Diagnóstico de comunicação ajuda a identificar e reforçar o essencial na sua marca

Não se inicia uma campanha ou um trabalho de posicionamento de marca sem um bom diagnóstico de comunicação.

Como a analogia já está posta no uso da palavra, vamos a ela: seria como um médico prescrever um tratamento sem examinar e diagnosticar o paciente.

Não é exagero dizer que o domínio do processo de diagnóstico pode ser o diferencial no trabalho de uma agência de comunicação.

E não é fácil: demanda muita sensibilidade para escutar e perceber os pontos mais sensíveis de cada caso. Siga em frente para entender melhor!

O que é diagnóstico de comunicação?

Diagnóstico de comunicação é uma ferramenta que busca entender a profundidade de uma marca e a conexão com a verdade da empresa que ela representa.

Embora chamemos de diagnóstico de comunicação, a observação não se restringe ao que a marca comunica.

Na realidade, tem muito mais a ver com investigar a percepção que os fundadores, colaboradores e consumidores têm daquela marca, o que vai servir, posteriormente, para repensar as ações de comunicação.

Tentando resumir em poucas palavras, o diagnóstico de comunicação tenta desvendar o DNA da empresa para que a agência pense na melhor maneira de traduzi-lo em uma identidade e discutro organizacional.

diagnóstico de comunicação

Importância do diagnóstico de comunicação em um mundo VUCA

Em 2018, publicamos um texto no blog sobre o mundo estar VUCA: volátil, incerto, complexo e ambíguo.

De lá para cá, aconteceram tantos eventos de grande dimensão (pandemia e guerras, principalmente) que a percepção de instabilidade no planeta só aumentou.

Isso leva a crer que a adaptabilidade é uma das principais valências que uma empresa pode desejar. Uma conclusão lógica e acertada.

O risco é focar demais na flexibilidade e esquecer do alicerce. É aí que entra o diagnóstico: para identificar a pedra fundamental do negócios; aquilo que, faça chuva ou faça sol, não vai mudar.

É o que chamamos, aqui na agência Incomum, de propósito — aquilo que a organização faz para além de si mesma, a marca que os fundadores pretendem deixar na sociedade.

Importante notar que essa noção não elimina a flexibilidade para se adaptar à dinâmica do mercado.

Por exemplo: uma loja de bairro pode ter o propósito de servir a comunidade local com um atendimento carinhoso e produtos bons. Quais são esses produtos, a faixa de preço, o layout da loja, os canais de comunicação… Isso tudo pode variar, desde que a premissa da qualidade no serviço e nos itens vendidos seja mantida.

Esse é o combo que permite superar as turbulências: a capacidade de se deslocar no mercado sem perder a essência, o fator emocional que gera conexão com o público.

Lembra quando dissemos que precisa de muita sensibilidade para conduzir um bom processo de diagnóstico? Pois essa qualidade serve justamente para entender as sutis nuances do propósito de uma organização.

Como fazer um diagnóstico de comunicação?

Não tem como fazer um diagnóstico de comunicação aplicando uma fórmula pronta. Cada empresa é única e exige uma estratégia específica.

Mesmo assim, podemos citar algumas etapas e ferramentas que o diagnóstico geralmente contempla.

Pesquisa de mercado

Na pesquisa de merca, a agência estuda o ramo de atuação da empresa, seus concorrentes e a demanda por seus produtos e serviços.

O resultado da pesquisa ajuda a identificar quais as expectativas do público-alvo e como as marcas do segmento as atendem.

Entrevistas em profundidade

Praticamente todos os trabalhos de diagnóstico de comunicação da Incomum têm uma fase de entrevistas em profundidade com os líderes da empresa, eventualmente também com colaboradores.

Nessas conversas é muito importante dar liberdade ao entrevistado e ter atenção aos detalhes de seu discurso, pois se trata de uma análise qualitativa, não quantitativa.

Cliente oculto

Aqui, gostamos de chamar essa etapa, tradicionalmente conhecida como cliente oculto, de jornada empática.

Nela, buscamos vivenciar a mesma experiência que os clientes têm com a marca. Pode ser com uma compra, contratação ou acompanhamento da prestação do serviço ou exploração dos canais de suporte e atendimento.

Aplicação de ferramentas de diagnóstico

Há várias ferramentas de diagnóstico que podem ser utilizadas como suporte no processo. Veja algumas:

Análise SWOT

É uma análise na qual são mapeadas as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças de uma empresa. Saiba mais sobre a análise SWOT.

Grupo focal com formadores de opinião

Nessa abordagem de pesquisa qualitativa, reúne-se um seleto grupo de indivíduos influentes e especializados em determinado campo para discutir e compartilhar insights sobre a marca, seus produtos e serviços.

Apresentação dos dados e insights

As etapas e ferramentas descritas acima fornecem à agência um amplo material com impressões e informações sobre o mercado, a empresa, os produtos e o público consumidor.

Depois disso, ainda tem bastante trabalho pela frente: refinar esse material bruto em um conceito de comunicação, que vai passar a guiar a maneira como a organização se comunica.

Quando essas descobertas são apresentadas aos clientes, algo mágico acontece: os olhos brilham ao ver que conseguimos expressar o que eles sentiam mas não sabiam colocar em palavras.

Exemplos de diagnóstico de comunicação

Não faltam exemplos de diagnósticos de comunicação no trabalho da Agência Incomum.

Afinal, essa é a primeira etapa do Plano de Voo, uma metodologia própria que aplicamos em trabalhos de desenvolvimento criativo e estratégico de marcas.

Veja alguns cases:

Quer saber como a Incomum pode ajudar a sua empresa a se transformar em um novo case de posicionamento de marca? Marque uma conversa com a gente!

Compartilhe este conteúdo
LinkedIn
Twitter
Facebook
Pesquisar

Newsletter Incomum

Assine a nossa newsletter e recebe estes conteúdos diretamente no seu e-mail.

Entre em contato e cuidaremos da sua marca.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Para mais informações, visite nossa Política de Privacidade.