Boas práticas de marketing digital: confira 8 dicas da Incomum

Conhecer e utilizar boas práticas de marketing digital pode fazer uma boa diferença nos resultados da sua empresa. Siga a leitura!

O que essas práticas permitem é levar a sua mensagem a mais pessoas. Essa mensagem pode apresentar aos usuários os produtos e serviços que sua empresa oferece.

Mas também pode levar conteúdo informacional relevante para o público-alvo, posicionando a organização como uma referência na área, reforçando a marca e atraindo a atenção de clientes em potencial.

Além disso, o marketing digital entrega uma série de métricas e segmentações que muitas vezes não é possível obter nas mídias offline. Por esses e outros motivos, o segmento vem ganhando cada vez mais espaço no orçamento das empresas.

Para desfrutar de todos esses benefícios, convém conhecer as boas práticas de marketing digital, que vão ajudar você a garantir os melhores resultados.

Incomum Comunicação Estratégica 8 boas práticas de marketing digital A seguir, listamos alguns exemplos de boas práticas de marketing digital que todas as empresas devem ao menos considerar. Confira.

8 boas práticas de marketing digital

A seguir, listamos alguns exemplos de boas práticas de marketing digital que todas as empresas devem ao menos considerar. Confira.

1. Crie sua persona

Antes de começar a investir no marketing digital, é preciso que você tenha bem definidas as personas do seu negócio.

Persona é uma pessoa fictícia que tem as características do cliente ideal. Não apenas as características básicas, como nome, idade e gênero, mas também motivações, ocupação e faixa de renda.

Na verdade, você pode criar várias personas, porque são poucos negócios em que há um perfil muito específico de cliente dominante.

Então, procure saber exatamente o perfil das pessoas que compram de você e agrupe-as em 2 ou 3 grupos. Uma forma interessante de fazer isso é buscar dentro da sua base de clientes padrões, sejam comportamentais ou demográficos, que podem ser agrupados.

Atenção: persona não é público-alvo. Persona é alguém que realmente representa a sua intenção de conversa e diálogo.

2. Defina os canais de divulgação

Da mesma forma que acontece na comunicação offline, é preciso definir em quais mídias você vai investir. Existem diversos canais que atingem públicos distintos no marketing digital. Por exemplo:

  • Redes sociais
  • Canal no Youtube
  • Site institucional
  • Blog

Cada canal tem a sua linguagem, e os comportamentos dos usuários não são os mesmos em todos eles. As redes sociais, por exemplo, são completamente horizontais, com foco na interação.

Já um blog é totalmente diferente: quem publica conteúdo nesse canal está se posicionando como especialista no assunto em que se posiciona.

É claro que essas não são regras totalmente rígidas. Você também pode postar conteúdo informacional nas redes sociais, por exemplo — mas a maneira de fazer será outra.

De qualquer forma, definir quais mídias serão utilizadas e estruturar uma estratégia evita que recursos sejam desperdiçados por causa do excesso de informação.

Muitas vezes, atendemos clientes falando que eles mesmos gerenciam as próprias redes e que fazem poucos posts, impulsionam muito cada um, e têm um ótimo retorno.

Mas o que é um “ótimo retorno”? O quanto você está estressando a timeline do seu público-alvo? Você está realmente usando o que um canal ou outro de mídia tem de melhor?

3. Invista em inbound marketing

O inbound marketing está entre as melhores práticas na aquisição de clientes. É uma estratégia que mira a geração de leads (alguém que concordou em fornecer dados de contato à empresa) e a criação de um relacionamento entre marca e consumidor de uma forma digital e mais permissiva.

Essa prática de marketing está muito ligada ao conceito de funil de vendas e ao marketing de conteúdo: a ideia é produzir conteúdo que seja atrativo para pessoas em todas as etapas da jornada de compra.

4. Defina a jornada de compra

Falando em jornada de compra, defini-la é outra prática fundamental do marketing digital. É assim que você vai conseguir identificar em qual estágio do funil de vendas um determinado lead se encontra, tendo como base seu comportamento, o que ajuda nas suas campanhas de e-mail marketing.

A partir dessa informação, você pode definir quais materiais podem ser oferecidos e, principalmente, qual é a melhor abordagem para o vendedor.

5. Utilize e-mail marketing

O e-mail marketing é uma das melhores formas de divulgar o seu produto, suas promoções e, principalmente, de difundir o conteúdo produzido pela sua empresa.

Ele te permite enviar ofertas (seja de produtos ou de conteúdo) de forma segmentada, atingindo quem você quer de acordo com predefinições comportamentais ou demográficas. Assim, você consegue converter mais sem ter que “reinventar a roda”.

6. Estude as plataformas de anúncios

As plataformas de anúncios estão entre os melhores exemplos de como o marketing digital transformou o mercado da comunicação.

O Google Ads, por exemplo, foca na intenção de compra. Ou seja, alguém digita determinada palavra-chave e o anúncio aparece na página de resultados do Google.

Já nas redes sociais, as plataformas permitem fazer a segmentação de acordo com o perfil do usuário — gênero, profissão, idade, empresa etc.

7. Monitore os indicadores

As boas campanhas de marketing digital são consideradas bem-sucedidas porque têm números que comprovam o seu êxito.

Então, a sétima dica de boa prática em marketing digital é monitorar os indicadores. Por exemplo: a taxa de conversão dos anúncios do Google Ads e dados de tráfego do site no Google Analytics.

Um indicador muito importante é o custo de aquisição por cliente (CAC) das campanhas de marketing digital. É a soma do dinheiro investido nas ações dividida pelo número de novos clientes obtido no mesmo período.

Esse indicador deve ser analisado em conjunto com o lifetime value (LTV), que é a receita que um cliente gera para a empresa em média em todo o seu relacionamento com a marca. o CAC deve ser sempre mais baixo que o LTV.

8. Produza conteúdo de qualidade

Por fim, uma boa prática de marketing digital é aproveitar todo o know-how da sua empresa no mercado em que atua para se posicionar como uma referência na área.

Como fazer isso? Compartilhando conteúdo de qualidade — em um blog, Youtube ou redes sociais — sobre temas relacionados ao seu segmento de atuação.

Nas redes sociais, combine essa prática com uma estratégia de linhas editoriais: um planejamento prévio dos temas e abordagens do conteúdo a ser publicado.

Faça marketing digital, mas não abandone o marketing offline

A dica bônus é a noção de que o marketing digital, apesar de oferecer inúmeras vantagens, não veio para substituir o marketing offline. Na verdade, o ideal é que os dois caminhem juntos.

Um bom exemplo de marketing digital andando de mãos dadas com o offline é utilizar o digital para a divulgação de feiras e eventos promovidos pela sua empresa. Você também pode, nas promoções offline, divulgar suas redes sociais ou o site da sua empresa.

Outro exemplo, tirado de uma campanha realizada pela agência Incomum, é abordar estudantes na fila de inscrição das universidades, torná-los leads e alimentá-lo com dicas de imóveis para estudantes, como já fizemos com um de nossos clientes imobiliários.

Gostou do nosso post? Acha que essas boas práticas devem ser seguidas? Então compartilhe em suas redes sociais!

Compartilhe este conteúdo
LinkedIn
Twitter
Facebook
Pesquisar

Newsletter Incomum

Assine a nossa newsletter e recebe estes conteúdos diretamente no seu e-mail.

Entre em contato e cuidaremos da sua marca.

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Para mais informações, visite nossa Política de Privacidade.