Aba 1

BLOG|INCOMUM*

Postado em 23 de Dezembro de 2016 às 21h52

Propósito de marca: 4 razões para sua empresa ter um

Conteúdo (106)
Os hábitos de consumo de produtos e serviços está sendo influenciado pelo interesse do consumidor em se relacionar com as marcas a partir de seus princípios.

Sabe aquela história de que uma pessoa nasce com vocação para ser médico, advogado, pintor, artista? Um médico, por exemplo, é inspirado pelo desejo de salvar vidas; o advogado pelo senso de justiça; o pintor pela expressão do belo. E a sua empresa, é inspirada pelo quê? Qual é o propósito de marca do seu empreendimento?

Se a pergunta está ecoando na sua cabeça e a resposta não vem com facilidade, é porque sua empresa está carente de uma razão de existir, de um objetivo que seja maior do que vender por vender.

Curioso para entender mais sobre o assunto? Siga em frente!

O que é propósito de marca?

Em poucas palavras, propósito de marca é a razão de existir da sua empresa, é a essência do seu negócio. Por exemplo, qual é a razão de existir do Greenpeace? Salvar a natureza, combater o desmatamento, a extinção de animais.

Passando para o mundo corporativo, qual é o propósito de marca da Apple? Inovar, criar soluções com design e criatividade. E da empresa de cosméticos Mary Kay? Promover o bem-estar das mulheres.

Perceba que a missão de cada empresa está muito pouco atrelada ao produto ou ao serviço que elas possam oferecer. Elas têm um objetivo maior, que contribui, de alguma forma, para a melhoria da sociedade.

Agora faça essa pergunta a si mesmo: como sua empresa está contribuindo para a sociedade? Qual é o seu propósito de marca?

Por que ter um propósito de marca?

Você pode pensar de uma forma simplista e perguntar qual é a importância de identificar a razão de existir do seu empreendimento. Pode ir além e se questionar como isso influencia nos seus negócios. E mais: qual a importância disso para os seus clientes?

A resposta pode ser verificada no cenário atual: conforme as tecnologias e o conhecimento avançam, os produtos e serviços se tornam bastante semelhantes, tanto em preços quanto em qualidade.

Você não precisa estar na Universidade de Harvard para fazer um curso, pode fazê-lo online, com a mesma qualidade e preços bem atrativos. Qualquer televisão que você compre terá mais ou menos as mesmas características, com um preço bastante próximo. O que determina a decisão do consumidor por este ou aquele produto ou serviço é o valor que a marca propõe ao consumidor. E quais valores seriam esses?

1. Exclusividade

Voltando ao exemplo da Apple, a empresa vende um smartphone como tantos outros existentes no mercado. Mas a mensagem que ela transmite é de que é algo diferente, inovador, único ? é um iPhone. E isso permite que ela venda seus produtos por um preço mais elevado e ainda assim seja uma das líderes no mercado de smartphones no mundo.

O que faz desta e de outras marcas um sucesso é o propósito, o porquê de a empresa existir. Quando você estabelece seu propósito de marca cria vínculos emocionais com o seu público, gera identificação e serve de inspiração para outras empresas.

2. Autenticidade

Os produtos que você cria, desenvolve, comercializa são o meio pelo qual você concretiza o seu propósito. No caso da Mary Kay, a empresa promove o bem-estar da mulher oferecendo cosméticos de qualidade, que ajudam a embelezar e cuidar do público feminino.

A marca é autêntica e quem utiliza seus produtos também o é. O consumidor assume a marca como um componente da sua personalidade, do seu estilo de ser. É por isso que tem pessoas que só usam óculos Ray-Ban ou só compram roupas na Ellus, por exemplo.

3. Relacionamento

Uma empresa sempre está em busca de clientes engajados, que sejam defensores da marca. Mas se você não comunica uma mensagem única, a essência da sua empresa, estabelecer este tipo de vínculo é bastante difícil.

A missão da Dell, por exemplo, é gerar valor para os clientes por meio de soluções tecnológicas. A fim de atingir esse objetivo, a empresa tem um segmento de produtos para empresas e outro voltado aos consumidores finais.

O grande diferencial que ela apresenta não está só na qualidade dos equipamentos, que poderia ser facilmente atingida por outras empresas do segmento. O foco deles está no suporte ao cliente, no relacionamento.

E para gerar engajamento, a empresa mantém canais de comunicação direta com os usuários dos equipamentos, tanto em fóruns próprios quanto em redes sociais, fomentando o senso de comunidade em torno da marca.

4. Competitividade

Pelos exemplos que demos até aqui, você deve ter percebido que empresas que têm um propósito de marca estão na liderança do mercado, possuem uma comunidade de consumidores bastante ampla e contam com verdadeiros defensores de seus valores.

E perceba que não estamos falando apenas de negócios B2C, já que marcas de valor têm admiradores no mundo corporativo também, como no caso da Dell ou da Microsoft. Essas empresas têm centenas de representantes que ajudam a fortalecer o poder da marca nacional e internacionalmente.

Em outras palavras, elas têm competitividade e estão longe de serem suplantadas por outros concorrentes ou ainda de desaparecer do mercado. São marcas perenes, que têm tudo para continuarem com suas bases sólidas e clientes cada vez mais satisfeitos.

Não ter um propósito de marca afeta sua empresa?

Certamente. Uma empresa que nasce sem propósito, ou cujo propósito é gerar lucro para os donos e nada mais, é apenas mais uma dentre tantas no mercado. Basta imaginar a quantidade de empresas que fecham todos os anos. Alguém sente falta delas?

Provavelmente não, porque existem centenas de empresas parecidas, com produtos e serviços semelhantes e preços mais ou menos iguais. E se a Apple, a Microsoft, o Google deixassem de existir hoje, qual seria o impacto para os consumidores? Gigantesco.

Até existem substitutos para essas marcas, mas o significado que elas têm na vida das pessoas é o grande diferencial. É a vantagem competitiva que essas empresas precisam para liderar o mercado.

As pessoas não querem apenas consumir os produtos e serviços dessas marcas, querem trabalhar nessas empresas, desejam ter um relacionamento com elas. Estão dispostas a falar bem, a recomendar, a defender os valores que essas marcas propagam como seus.

Se essa reflexão faz sentido, pode ser o momento de você mandar a sua marca para uma Sessão de Terapia e partir para um Plano de Voo.

Comentários!

Comentários

Seja o primeiro a comentar! : )

Veja também

Diagnóstico: uma parada estratégica obrigatória03/10 A sabedoria popular brasileira diz que quem anda para trás é caranguejo. Todo mundo quer evoluir, e isso vale ainda mais para as pessoas jurídicas do que para as físicas. Não é só uma questão de aumentar as receitas, mas também de encarar um mundo VUCA, que demanda cada vez mais qualidade e foco no cliente. Em vez de se apavorar com os desafios, pare......
O fim das curtidas no Instagram25/07 Qual o impacto do fim da contagem de curtidas no Instagram? O que muda na vida de marcas e da plataforma? A gestora de mídias sociais da Incomum explica....

Voltar para Blog

newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Assine a nossa newsletter e recebe estes conteúdos diretamente no seu e-mail.

Nome
E-mail
Resolva :

tags blog