Aba 1

BLOG|INCOMUM*

Postado em 28 de Abril às 13h44

Plano de Voo: uma caixa de diálogo que desperta verdades adormecidas

Trabalhos (136)Conteúdo (144)

Uma boa agência de comunicação não inventa a roda ao criar uma estratégia de posicionamento de marca.

Em vez de bolar um conceito a partir do nada, os criativos se baseiam em uma matéria-prima robusta: o diagnóstico de marca. É assim que funciona no Plano de Voo, metodologia da Incomum.

Esse material bruto é identificado, não inventado. Você pode entender melhor como funciona o processo lendo o texto Branding com o jeito Incomum: por que a marca é descoberta, não inventada.

Por trazer à tona algo que já existe, tanto o diagnóstico quanto o conceito não costumam surpreender o cliente pelo conteúdo. O conteúdo é familiar — o que surpreende é a forma.

"No diagnóstico do Plano de Voo, a gente não traz nenhuma grande surpresa. Talvez o que surpreende é ver a verdade tão clara. Ela fica tão evidente que é impossível negá-la", conta Stela Nesello, sócia da Incomum.

Segundo Stela, a imersão no cliente permite captar a essência da empresa — como ela trabalha, quais são seus valores, como estabelece suas relações — de uma forma muito clara, expondo assuntos sensíveis.

"A gente identifica situações que, na maioria das vezes, são deixadas de lado. Aquelas conversas complexas, pontos importantes da organização que, no fundo, todos conhecem."
 

Quebrando a resistência e a negação

Ainda que o resultado do diagnóstico seja familiar aos líderes e colaboradores da organização, sua revelação pode envolver algum tipo de desconforto.

Afinal, é comum que o Plano de Voo desperte verdades adormecidas e conversas evitadas. Que outro motivo justificaria esse escape que não a resistência a algum possível mal-estar?

Assim, um dos cuidados da agência é de revelar essas verdades de um modo que minimize o desconforto e não gere traumas. Isso demanda um processo de diálogo muito bem pensado.

"A partir do momento que a gente coloca as cartas sobre a mesa, começamos a construir uma história, estruturada para trazer à tona as informações do diagnóstico de uma maneira que vai se assentando para as pessoas, para que elas tomem conhecimento dessa realidade em doses mais palatáveis", explica Stela, sócia e Diretora de Atendimento.

Para ter esse resultado, um dos desafios é apresentar essas informações de modo que não paire sobre elas nenhum questionamento. O diagnóstico deve apresentar fatos, e não opiniões e hipóteses.

Plano de Voo é um espaço de diálogo

Em todas as etapas do Plano de Voo, o diálogo é um pilar muito importante. Primeiro, a Incomum cria uma dinâmica em que as pessoas se sentem confortáveis para trazer seus desconfortos, angústias e projeções de futuro de maneira muito segura e transparente.

"Elas compartilham informações que talvez no dia a dia normal da empresa seja um pouco intimidador levantar", pontua Stela.

Depois das entregas do Diagnóstico e Conceito, é estabelecido um diálogo mais uniforme, em que agência e cliente constroem soluções lado a lado, de forma colaborativa.

"A gente se coloca ao lado das pessoas da organização na construção de caminhos para levar adiante a transformação." Em conjunto, são definidos os movimentos a serem feitos, as atitudes a serem incorporadas e os conhecimentos a serem buscados.

Assim, Stela enxerga o Plano de Voo como uma "caixa de diálogo". "É um espaço para sentar, pensar, refletir, sentir e dizer o que se gostaria de dizer. No fim, as pessoas chegam à conclusão de que não estão sozinhas em suas percepções e começam a pensar, juntas, no que é viável e necessário para que a organização consiga ir adiante", pondera Stela.

"Trazer a verdade à tona é uma forma de manter-se íntegro e a partir disso os movimentos e esforços começam a apontar para mesma direção, evitando dispersões e perda de energia. Encarar o que precisa ser transformado é o caminho mais rápido para a empresa se fortalecer", conclui a sócia da Incomum.

Quer saber mais sobre o Plano de Voo da Incomum? Em nosso blog, temos vários artigos contando cases em que aplicamos a metodologia com nossos clientes. Veja:

Veja também

Comunicação não verbal: o que é, tipos, importância e quando usar16/09 Muitas vezes, em nosso dia a dia, nem precisamos falar algo: a mensagem está nos pequenos gestos, até mesmo naqueles que você acredita ter conseguido disfarçar. A comunicação não verbal é importante não somente na vida pessoal, mas, principalmente no trabalho, onde pode influenciar diretamente na qualidade da entrega da sua equipe. Ficou curioso?......
Planejamento estratégico: o que é, importância e como fazer09/09 Embora o planejamento estratégico seja uma ferramenta ignorada por muitos gestores, ele deve fazer parte da sua rotina e guiar as ações dos colaboradores. Com ele, é possível desenvolver uma visão de médio......

Voltar para Blog

newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Assine a nossa newsletter e recebe estes conteúdos diretamente no seu e-mail.

Nome
E-mail
Resolva :

tags blog